30 de junho de 2014

Compras do fim-de-semana

Com o príncipe mais velho a fazer 13 anos, a crescer de dia para dia, decidi ir com ele às compras. Necessita de calças e até foi fácil convencê-lo. Fomos à Zara e por lá fizemos as compras:
uma camisola, um par de calças (que adoooooooorou. Quer que compre outro par igual.) e um casaco para esta altura do ano,
 
 
um par de calças para o Mini (confortáveis para as suas aventuras), mais um conjunto que irei trocar (quando cheguei a casa não gostei do formato da camisola),
 
 
 
um perfume para o Tiago,
e uma camisola para o João, não que necessite, mas queria comprar uma t-shirt.
 
 

Quem tem fome... alimenta-se



 
O Mini já tenta comer tudo o que pode. Saiba-lhe bem e toca a comer. Claro, que ainda é necessário estar debaixo de olho, porque os seus 4 dentes ainda só servem para rasgar.
 

13 anos



Ontem, foi o dia do príncipe mais velho, o dia do seu 13º aniversário.
Fez 13 anos e tal como os rapazes da sua idade, as festas são só mesmo para os amigos. Dos 4 amigos só dois puderam aparecer. Uma festinha pequenina, mas adaptada à sua idade.
 




 
 

27 de junho de 2014

Balanço escolar

Os príncipes mais velhos estão os 3 de parabéns com as belas notas que tiraram. O empenho dos gémeos teve os seus frutos. Espero que continuem assim.
Quanto ao príncipe mais velho, também de parabéns, mas penso que com um pouco mais de estudo, os 4 que tem seriam 5.
Agora virá a recompensa, um Skylander para cada um. Quem merece, merece.

Ceguinho

O príncipe mais velho, só recentemente verificámos que tinha dificuldades em ver ao longe. Foi ao médico e o diagnóstico é: miopia. Agora vai ter que usar óculos, para sempre...
Mal o médico lhe colocou as lentes, ele notou bem a diferença.
 

23 de junho de 2014

A 1ª palavra


E a 1ª palavra é: OLÁ

Coisas deles #34#

 
O Afonso é uma criança muito criativa. Aquela mente não tem limites. No outro dia, à porta do Feira Nova, vimos um escaravelho, já morto, mas maior do que é comum. Pediu-me para o apanhar e trouxe-o para casa, onde o colocou num tabuleiro junto com outras coisas que ele gosta, para fazerem companhia ao bicharoco, assim não se sente sozinho...
 

Coisas deles #33#

 
O Afonso, sempre muito autónomo, ficou todo feliz de conseguir calçar as sapatilhas sem ajuda. Nada como tentar...

Santo António

Lá no burgo comemora-se o Santo António. Este ano não choveu e teve até muito calor. Enquanto o príncipe mais velho ensaiava para um concerto, os outros príncipes divertiam-se nos carrósseis.
 


 
 
 

Ao cesto



 
Uma das coisas que temos num quintal é um cesto de basquetebol. O Afonso adora brincar com bolas e atirar ao cesto, e, claro, acertar, faz uma das suas maravilhas da brincadeira. Isto e atirar as bolas que não gosta para as casas dos vizinhos...

Os sonhos também se realizam

Desde pequeno que o meu marido tem um sonho; um sonho de criança. Sempre gostou de brincar com Playmobil e o seu sonho era ter o Fort Bravo da Playmobil. Ontem, fomos ver a feira de artigos em 2ª mão lá no burgo. Bem, numa caixa, meio escondida, vimos peças de Playmobil. Decidimos ver que seria e eis que descobrimos o Fort Bravo, mas o antigo, tal como ele tanto quis. Não tem as peças todas, mas está quase, quase completo.
A alegria dele, a felicidade no seu rosto, parecia um menino a olhar para o brinquedo com que sonhou tantos anos. 30 e tal anos, mas o sonho concretiza-se.
 

20 de junho de 2014

Quando há sol

Quando há sol todos gostam de aproveitar o exterior, do mais novo ao mais velho. No entanto, os mais novos são os que aproveitam em pleno.

 





 

19 de junho de 2014

Susto... mas que susto

40 anos: anos e anos a andar no meio da natureza e nunca vi uma cobra viva (tirando no jardim zoológico, está claro). Anos a acompanhar o meu pai na agricultura, metade da minha vida. 13 anos a passear os cães pelo pinhal, e nunca vi uma única cobra viva, em plena natureza.
Mas, nunca se diga nunca... Ontem foi o dia!
Fomos passear o cão, eu, o Afonso e o meu marido, e eis que, olho para uma saliência no solo e lá estava ela, escurinha, quase enrolada. Bem, dei um grito: "Aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii, uma cobra!". Atirei-me para trás, para cima do meu marido, e a bicha fugiu, metendo-se logo para o meio da vegetação.
O meu marido ficou chateado, porque o Afonso tinha passado, mais o Spike pela cobra (não a viram) e ela não fugiu. Mas com o meu berro, fugiu logo, fazendo com que ele não a visse.
Em vez de ficar preocupado com o susto que apanhei (garanto que foi grande. MUITO GRANDE), ficou chateado em que tenha gritado e assustado a cobra. Sim, ele queria vê-la! Pois eu tinha dispensado.
Voltámos lá mais tarde, a ver se a víamos de novo, mas nada. A bicharoca acho, que depois do susto que também ela apanhou, nunca mais se quer cruzar comigo.
Pensar eu que já andei pelo meio da vegetação, várias vezes no pinhal, e de chinelo de enfiar no dedo... Enquanto me lembrar, nunca mais!!!
 

18 de junho de 2014

As pulseiras ainda estão na moda

 
O Afonso e as suas pulseiras de elásticos. Algumas feitas por mim, outras pelos irmãos. Quando as usa gosta de pôr todas.
 
 

17 de junho de 2014

O ajudante

 
O Afonso sempre foi um despachado. Adora pôr a mesa. É dos meus príncipes o mais autónomo. Bem ou mal dá a sua ajuda.
 

12 de junho de 2014

10 de junho de 2014

Coisas deles #31#

O Afonso, no dia da Criança, foi com a escola ao cinema, mas foram ver um cinema em 3D.
Estávamos a falar sobre o assunto à mesa, quando ele se saiu com esta:
Afonso: " - Quando fui ao cinema tinha óculos."
Eu: " - Claro, era um cinema a 3D!"
Afonso: " - Mas, os meus óculos estavam desfocados!"

Concerto final de ano



 
Sábado, à noite, lá fui assistir a mais um concerto do meu príncipe mais velho.
Que nem um senhor, agora tem um blazer preto para os seus concertos. Muito calor sentiu ele, mas manteve-se ali de casaco vestido. Tem que se manter o estilo.
Este não foi o último concerto este ano lectivo, mas foi o concerto de avaliação final do 7º ano.

5 de junho de 2014

10 meses

 
10 meses faz hoje o meu príncipe mais novo. 10 meses que voaram. Num instante está a fazer um ano.
Terrível, só quer colo, e mais colo, mas não é colo de qualquer forma, é colo connosco em pé e a andar de um lado para o outro. As suas brincadeiras favoritas são basicamente atirar tudo para o chão ou esvaziar caixas, também atirando o seu conteúdo para o chão. Embora já aceite bem a chupeta ainda não morre de amores por ela.
Mudar a fralda é um sacrifício, pois ele não pára um segundo quieto.
Começa a dormir cada vez menos e de dia é um fenómeno em vias de extinção...
Palra como ninguém e adora que os irmãos brinquem com ele.
 

3 de junho de 2014

Cantinhos com amor

Este é um dos cantos que mais adoro lá em casa. As fotos da família, que vai crescendo. As fotos dos príncipes, dos momentos importantes da nossa vida.

2 de junho de 2014

Coisas deles #30#

 
Quando a cavalaria está a postos...
O Afonso continua a ser muito organizado nas suas brincadeiras... já no resto...!!!

Dia da Criança, ou melhor, fim-de-semana

Fim de semana quase, a esbarrar quase no perfeito. Passei tempo de qualidade com os miúdos, o que nem sempre e possível quando se fica mais por casa. Claro, em casa nada fiz!
Manhã de sábado: levei os gémeos à canoagem e levei o Mini para apanhar ar. Como ele se porta bem no exterior. Ocupou o tempo entre tirar as coisas de dentro do seu saco, tentar comer folhas, morder o meu telemóvel e gatinhar para longe da mãe (se bem que o longe dele fica à distância de um braço esticado).
 

 




Depois de um breve almoço, fui com os gémeos e o Afonso até às comemorações do Dia da Criança, ao lado do rio Homem. Aquele espaço está muito bem, muito agradável, perto do rio e à sombra dos pinheiros. Atividades e diversão também não faltaram. Os príncipes divertiram-se à grande. Todos encontraram amigos da escola, o que fez o tempo passar muito melhor.
Tinham insufláveis:
 


 
prova de obstáculos:
 



 
golfe:




 
 
matraquilhos humanos:
 


 E, muitas outras atividades, em algumas participaram, noutras não. O Afonso é que ama os insufláveis e salta, voa,... até tenho medo que se parta todo.
 

 
Havia palhaço a fazer balões, e o muito que o Afonso queria um balão, mas aproximar-se do palhaço nem pensar! Ainda fez 2 tentativas, mas chegou perto e desistiu...
 
 
 
Umas horas bem passadas, em que todos vieram felizes. (O Afonso amuou um pouco porque queria ficar mais)

Depois, voltei a casa, num instante, para ir buscar o príncipe mais velho que tinha uma festa de anos de um amigo e, com os gémeos e o Afonso fomos tomar café com uma amiga a Braga. Divertiram-se imenso com o cão dela, o Kinder. Na despedida, de novo amuo do Afonso, que queria levar o cão por alguns dias para nossa casa. Começa a ser difícil gerir estes amuos do Afonso.
 
Domingo (Dia da Criança): de manhã, os gémeos foram com o pai a Braga buscar a prenda do Dia da Criança - cartas dos Pokémon, para os gémeos e o Afonso. O príncipe mais velho preferiu o dinheiro.
 
 
À tarde, rumámos ao complexo das piscinas, onde havia as comemorações alusivas ao dia.
 
 
 
De novo insufláveis e o Afonso, esse aproveitou bem. Os gémeos, encontraram logo uns amigos e também foram para os insufláveis.
 


 


 
Mais tarde pediram-me para ir para os campos de ténis, com os amigos, que acabaram por não ir. Lá foram tentar dar umas tacadas na bola.
 
 

 
O Afonso, a ver os irmãos, aproveitou para brincar com as suas novas cartas. Ali no fresquinho dos pinheiros, com vista para a Serra do Gerês. Que paisagem!
 

 
Mais tarde os gémeos quiseram ir para a piscina, mas alguns minutos depois, de ar carrancudo voltaram para ao pé de mim. Tinha-me esquecido dos óculos e sem óculos, em especial o Tiago, não queriam ir para a piscina. Juro que não entendo! O antigo professor de natação deles ainda se disponibilizou para lhes emprestar uns, mas o Tiago não cedeu no seu amuo (há sempre um amuado! Ontem, foi o dia do Tiago.) O João aproveitou o professor para ir com ele jogar badminton.
 
Decidiram voltar aos insufláveis, se bem que o Tiago já queria ir para a piscina (alguém o entende??!!!). Preparados, descalços e à espera de vez para saltarem no insuflável, umas miúdas saem a correr do insuflável, aos saltos, e o Tiago que estava sentado à ponta do mesmo, só o vejo a voar e aterrar no chão. Chorou, mas num choro quase silencioso, ferido e envergonhado. A miúda pediu desculpa, mas o Tiago não estava nos seus dias. Já não quis ir para o insuflável. Então, decidi que quando os irmãos saíssem do insuflável voltaríamos a casa. Pois, quando os irmãos saíram o Tiago queria ir para os insufláveis. Não cedi. Estava farta de amuos e de queixas. O Tiago chorou todo o caminho até casa...
 
 
Terminei o dia a fazer salames, eles ajudaram ao partirem a bolacha (gémeos e, para que hoje levassem para a escola.