27 de setembro de 2013

Dia negro

Dia de chuva, muita chuva, e o que acontece...parti um dedo... Nunca tinha partido nada, mas há sempre uma primeira vez...

25 de setembro de 2013

Tudo para o adormecer


 
O príncipe mais novo, o bebé, dorme muito bem durante a noite, mas... de dia... Bem, de dia são sonos de 10 minutos. Tudo fazemos para o adormecer e o manter a dormir, mas a maior parte das vezes sem grande sucesso. Uma fralda em cima da cabeça, outra a prender (trancar) a chucha, senão esta voa da sua boca. O que se faz para se ter algum tempo, sem ele ao colo...

 

Panos de cozinha


 
Os meus panos de turco de cozinha estão a ficar todos velhinhos. São muito usados. Alguns estão cá em casa desde que casei. Estão mesmo a precisar de ser substituídos. No Continente tem uma colecção linda "Kasa". Não resisti e comprei este, tão fofinho. Está na hora das substituições.
 
 

Aguardando...

 
O príncipe mais novo parece que não gosta de sair de casa. Sair de casa com ele é sempre acompanhado de choro ou berreiro. Ultimamente conduzo com uma mão no volante e outra na sua chupeta.
A qualquer lado que se vá tem que andar ao colo, por isso, decidi mandar vir um sling destes, a ver se não chora tanto e não me dá cabo das costas. Aguardo ansiosamente a chegada e depois a experiência.

24 de setembro de 2013

Coisas deles #21#

O príncipe mais velho, com ar de preocupado, e de boca aberta para eu ver:
" - Saiu-me gengiva!!"
" - Saiu-te foi um pedaço de cérebro." - a minha resposta.
" - Nota-se, ficaste mais burro." - contrapôs o Tiago. Dá cada resposta este rapaz!

23 de setembro de 2013

Irá dar certo?

Todas as semanas dou uma semanada aos príncipes mais velhos. Podem carregar o dinheiro no cartão da escola ou poupá-lo, eles têm que o gerir. Pois hoje decidiram poupá-lo juntos: uma caixa de sapatos, anotado num caderno quanto cada um contribuiu, e está iniciada a poupança. Mas, estou cá desconfiada que a sociedade não irá durar muito. Já estou a antever o futuro: vão-se zangar e cada um vai retirar o seu dinheiro da caixa. Vai ser uma história curta...
 

Escorrega

 
Sempre que vou buscar o Afonso à escola, à hora de almoço, ele corre para o parque infantil para o escorrega. Tem sempre que escorregar pelo menos uma vez. Por vezes tenta furar o combinado e dá mais que uma volta. Adora escorregas.
 
 
 

22 de setembro de 2013

Zoo de Santo Inácio

Algumas fotos tiradas pelo Tiago no Zoo de Santo Inácio. Adora tirar fotos:





 

 
 
 

Tudo serve

 
Quando quer mamar, o Mini quer mamar. Se apanha os meus braços, a minha cara, o que quer que seja de pele da mamã, serve para mamar. Ando com os braços cheios de chupões. Vida de mãe não é fácil...
 
 

Domingo a dois

Eu e o chorãozinho ficámos em casa. O pai foi com os outros príncipes, após vários pedidos deles, até ao Jardim Zoológico. Foram ao Zoo de Santo Inácio. Um espaço fantástico. Espero que se divirtam. Vão ter muitas histórias para contar quando chegarem.
Eu, vou tentar ajeitar o manual que o meu marido necessita, caso o bebé o permita.
 

21 de setembro de 2013

Em sua defesa

O Tiago, tem uma borbulha enorme no nariz. Claro, que não é num sítio simpático e poderá levar a motivo de gozo por parte dos colegas. Por isso, prepará-mo-lo para tal.
Ontem, na escola, um colega disse-lhe:
" - Olha o menino com uma borbulha no nariz."
O Tiago disse:
" - Olha o menino com 100 borbulhas no cu."
Parece que os assunto morreu logo ali...
 
 

20 de setembro de 2013

Independente

O Afonso, hoje foi pela primeira vez, à tarde, à escolinha. Quando estava quase a levá-lo, à tarde, vejo-o tirar um iogurte líquido de frigorífico e desaparecer com ele. Foi guardá-lo na mochila para ter lanche à tarde. Já trata do próprio lanche.

19 de setembro de 2013

Loucuras da adolescência @3

Esta semana tem sido intensa em sentimentos e isso reflecte-se nas atitudes.
O príncipe mais velho, na noite de domingo para 2ª-feira, noite antes do primeiro dia de escola, quase não dormiu. Mas, como se isso bastasse, eu também quase não dormi, porque ele fez questão de me dizer que não conseguia dormir (Tudo eu!!! O pai estava ali mesmo ao lado...). Resultado: mandei-o ler, não adormeceu. Mandei-o deitar no meu lugar na cama, indo eu para o fundo a cama, devido ao bebé - não adormeceu. Mandei-o para o sofá, onde dormiu um pouco. Mas logo voltou ao meu quarto, onde me tornou a acordar... Bem, medida radical. Mandei-o deitar no meu lugar, tirei o bebé da sua cama e fomos os dois para a cama do príncipe mais velho. Ele acabou por dormir pouco mais de uma hora na minha cama. De manhã, estava cansado com poucas horas de sono. Foi super nervoso e ansioso para a escola.
Na 3ª-feira, teve a primeira aula (deste ano lectivo) de trompete. Professor novo. Resultado, chegou ao carro quase a chorar, porque com os nervos, por ter um novo professor, não foi capaz de tocar nada de jeito, nem respirar devidamente conseguiu. Lá tive que relativizar as coisas, fazendo entender que é normal, por se um professor novo, uma nova fase de adaptação, e que todos passamos pelo mesmo. Pronto, lá ficou mais calmo.
Os seus medos vão mudando, mas a ansiedade não diminui.
 
 
 

Loucuras da adolescência @2

O príncipe mais velho acorda antes do pai, porque tem que tomar banho, para que o pai o penteie, pois não ter o cabelo penteado de qualquer forma para a escola ou para sair. Só o pai o sabe pentear devidamente (para ser sincera, para mim é um alívio essa decisão).

Tolerância

Tanto se falou de tolerância, de flexibilidade, de algum espaço para os miúdos do 5º ano se adaptarem, visto que vêm de um sistema de ensino (1º ciclo) completamente diferente, na reunião de 1h30 da escola, que no 3º dia de aulas chega o João choroso a casa, porque levou uma falta de material. No 3º DIA!!! Onde está a tolerância? Eles devem ter responsabilidades, claro que sim, mas... onde está a tolerância e o espaço de adaptação? Uma falta de material no 3º dia de aulas?!!!
Muito se fala com palavras bonitas, palavras de compreensão, que levam a emoções e proximidade, mas no fundo nada disso ocorre realmente...
Na realidade, os miúdos não se podem esquecer... Até parece que estou a ouvir o presidente da escola, na reunião, a dizer " - ... esquecimentos qualquer um tem...". Parece que a realidade é distinta do que se diz.
Como diz o ditado "Palavras leva-os o vento."
 
 
 
 
 

18 de setembro de 2013

1º dia de escola #2#

Os gémeos, novo ano, nova escola. Lá foram todos felizes com o irmão mais velho. De volta à escola, de volta aos amigos. Na sua turma ficaram dois dos seus melhores amigos.
Mas nem tudo corre bem no primeiro dia, o dia mais perfeito para todos os alunos. Pois, um dos gémeos chegou amuado a casa e choroso. Dei-lhes dinheiro para comprarem um chocolate na máquina (desejo que tinham desde a escola primária). Cada um comprou um chocolate. O Tiago comeu o seu, o João guardou e quando vinham para casa, decidiu comê-lo e repartir com o irmão mais velho. Como o Tiago, já tinha comido o dele, não lhe deu. Isto, claro, deu origem a um conflito, causado pelo Tiago, visto que não lhe deram um pedaço de chocolate. O príncipe mais velho, quis-lhe dar a parte dele, mas ele não aceitou.
Resultado, chegou a chorar e amuado a casa, porque ninguém "gosta dele".
Como é possível, não dividiu o chocolate dele com ninguém e amuou por o irmão gémeo não lhe dar um pedaço...
O Tiago anda numa fase complicada, e este é um pequeno problema na ponta do iceberg.
 
 

1º dia de escola #1#

 
 
O Afonso foi para a escolinha, para a pré-primária. Só tem ido de manhã para se ambientar, mas a experiência tem corrido bem. Ainda está um pouco perdido, mas pelo menos não chora. Está um menino grande.
 
 
 
 
 
 

Vestiu um casaco



 
Hoje, pela primeira vez, como tivemos que sair de manhã, o príncipe mais novo, vestiu finalmente um casaco. As manhãs estão mais frias e o casaquinho era mesmo necessário. Finalmente estreou um dos casaquinhos que tem.

Apanhados

 
Os gémeos hoje foram apanhados a tirar dinheiro de um mealheiro, um porquinho de barro, que só tem buraco para colocar o dinheiro. Lá estavam os dois animados, com a ajuda de uma tesoura, a tirar o tesouro. Acho que só não conseguiram tirar as notas. Passaram o dinheiro para os seus mealheiros, que se abrem de forma a tirar facilmente o dinheiro.
Miúdos calados, é sempre mau sinal, mesmo com 10 anos.
 
 
 
 

12 de setembro de 2013

Consulta de 1 mês

Tudo a correr bem: a ganhar bem peso (4,495kg), um bom comprimento, já se senta (com uma pequena ajuda) e segura bem a cabeça, mesmo muito bem para um mês, sorrisinhos, até que... o choro chegou, mas chegou a sério. Saí do centro de saúde com o príncipe aos berros. Lá adormeceu no carro.
Decidi aproveitar e ir às compras. Tudo a correr bem, até que quando chego à fila para pagar, voltou o choro compulsivo. Foi chorar até casa... Mas não é um choro, são berros de sofrimento. Mas porque é que têm que ter cólicas tão agressivas... Só se calou quando encheu a barriga. Dorme à 3 horas... Bem podia ter dormido um pouco antes... Não se pode sair com este miúdo para lado nenhum!
 
 
 
 
 

Cadernos, livros...

 
Até me assusto com a quantidade de cadernos que tenho para encadernar. Só neste monte estão 12. Já encadernei 5 ou 6. Ainda me faltam comprar mais cadernos... Com o tempo que demora a encadernar cada um... mais os livros que ainda faltam... SOCORRO, odeio o início da escola. Vão ser horas de volta disto...
Prevejo encadernar mais de 50 livros e cadernos...
 
 

11 de setembro de 2013

Tempos Livres

Os tempos livres para quem tem um bebé de 1 mês são escassos, e os poucos que tenho ocupo-os a para passar a ferro e apagar livros do 5º ano. Sim, apagar o que está escrito nos livros do 5º ano do príncipe mais velho, que ainda estão em bom estado e que servem perfeitamente para os gémeos. Irei dividir pelos dois os livros usados, de forma a que tenham ambos livros em 2ª mão e novos.
Agora há que prepará-los para os novos utilizadores. Alguma paciência, algum tempo e uma borracha.
 

10 de setembro de 2013

Uma boa visita

Hoje tivemos uma boa visita, um visita ao príncipe mais novo, de duas amigas que gosto muito.
Trouxeram um prenda linda, que irá ficar muito bem no príncipe mais novo de certeza.


 
 

 
 

Fujam... se puderem...

Dois gatos, um miúdo cheio de energia e muita imaginação, dois sacos de papel, são os ingredientes perfeitos para uma correria pela casa. O Afonso com dois sacos de papel na mão, a fazer imenso barulho, atrás dos gatos que nem sabiam onde se esconder. O Joijoi encontrou o esconderijo perfeito, onde o príncipe tinha dificuldades em lhe chegar, debaixo da cama do bebé, e perto de mim, que evita sempre males maiores.
 
 
 
 
 

9 de setembro de 2013

Autonomia

" - Mãe, posso pôr o meu gelado?"
Perante tal desejo de fazer as coisas sozinho, não hesitei. Mas em vez de colocar o gelado na taça, estava a pôr onde? Directamente na boca...
 


 
Para quê sujar mais loiça!


Ler

 
 
Ler não costuma ser uma coisa que entusiasme muito os gémeos. Lêem livros de histórias infantis, patinhas e pouco mais. Insistimos para que façam outro tipo de leituras, mas sem sucesso... O João no entanto, após a nossa insistência, descobriu que gosta de ler os livros do "Henrique, o Terrível". Já leu os que tinha cá em casa (dele e dos irmãos) e agora sempre que vamos ao Continente, onde o preço é bem simpático (2, 25€), pede para lhe comprarmos mais um. Ontem trouxe um, hoje outro.
É vê-lo a ler livros...
 
 

8 de setembro de 2013

Flores no jardim

As últimas flores de 2013 no meu jardim:
 


 
 
 
 

Sair = choro

Ir a algum lado com o príncipe mais novo, o Mini, é uma loucura. Parece que sair não faz parte dos seus planos, pois chora, chora, chora... Temos que o pegar ao colo para se calar. Insegurança, medo, desconforto... não sei! Sei que chora e não é pouco.
Quanto a adormecer, não me parece: nem no carro, nem no carrinho...

Finalmente o corte

Várias vezes fomos ao cabeleireiro, mas nunca tinham vaga. Até que decidi marcar.
Ontem finalmente o corte.

[Antes]
 
 
[Depois]
 
 
 


6 de setembro de 2013

Será que não me canso disto?

Assim passámos o dia de hoje:


Ai de alguém que faça agora barulho: dorme à 10 minutos... finalmente!

Amoras

Ontem o carro, o meu carro, decidiu deixar de fechar as portas. O rádio também deixou de dar. Hoje seria importante levá-lo ao mecânico, o que fiz. O João foi comigo.
Perto da oficina vimos muitas amoras. Como era suposto regressarmos a casa a pé, decidimos que virámos por aquele lado.
Mas, o mecânico, embora de férias, viu que o problema era de fusíveis e substituíu-os logo. Assim, fomos apanhar as amoras e viemos de carro para casa.

 
E, onde pusemos as amoras? No único recipiente que tínhamos no carro, uma garrafa de água. Assim trouxemos amoras para os outros príncipes, e trouxemos também alguns arranhões e picadelas...
 
 

5 de setembro de 2013

1 mês

Faz hoje um mês. Assim era ele à um mês.


Agora está assim:

 
 

Fruta à refeição

 


Uma das formas encontradas para comerem fruta na refeição. Uns comem-na antes, outros durante a refeição e outros guardam-na para o fim. Todos comem.
A cor também ajuda no incentivo para comer a fruta.
 

4 de setembro de 2013

Splash

 


 
A última ideia, no que toca à piscina caseira, são os saltos. Os príncipes mais velhos saltam efusivamente de fora para dentro da piscina, enquanto o Afonso grita com todas as forças, desesperado por levar com água na cara, encontado a um canto (se é que uma piscina redonda tem cantos!!).
 
 

2 de setembro de 2013

4 semanas


Em 6 dias: 270g. Continua a ganhar bem peso, para quem só mama. Ganha cerca de 45g por dia. Segundo a enfermeira o mínimo é 10g e o normal 15 a 20g. Temos herói.
Todos os pais gostam que os seus filhos ganhem peso, o que é bom sinal. No caso em específico do Mini, é sempre uma preocupação, devido ao que aconteceu, quando nasceu. Uma preocupação que não me abandona, tendo em conta o susto.
O Mini nasceu com 3,430kg, mas em dois dias, sendo normal os bebés perderem peso, o Mini perdeu demais. Perdeu 370g, o que fez adiar a nossa saída do hospital. Depois de termos ambos alta, um pediatra mais atento decidiu pesá-lo, visto que o bebé não fazia cocó à 2 dias, e descobriu-se que tinha perdido peso demais. A alta dele foi retirada, e começou a ser vigiado no que toca a alimentação, sendo-lhe dado, além da mama, suplemento alimentar. Descobrimos que não tinha mama suficiente para o alimentar. Aliás, não tinha leite quase nenhum para ele.
Numa noite, com o suplemento de leite, ganhou logo peso, por isso, ao meio-dia do dia seguinte, foi-lhe dada de novo alta e viemos para casa.
Só lhe dei suplemento de leite no 1º dia em casa, depois não foi mais necessário. Quando cheguei a casa, o leite apareceu, em grande quantidade, e o suplemento alimentar cancelado.
Agora só com mama é vê-lo crescer.

1 de setembro de 2013

Início da noite


 
Aproveitando a descida à frente da casa e a paciência do pai, lá vão eles ladeira abaixo, os mais velhos de bicicleta, o Minúsculo de mota.
Grande diversão.
Aposto, que nos próximos dias vão querer repetir.