26 de setembro de 2012

O acelera

O príncipe mais novo quando crescer vai ser um acelera na estrada... ai, o meu coração não sei se irá aguentar!
Ele vai sempre, sempre, na sua cadeira, no banco de trás, mas vai sempre atento à estrada, se há carros à frente, se há motas, se o trânsito está parado, se vamos pelo sítio que acha correto, etc.
Ontem, o pai trouxe os príncipes ao meu local de trabalho, como iria dar formação, para eu os levar para casa. Resultado, a fera louca pelo o trânsito lá atrás, lá ia ela a dar indicações para o trânsito, estilo: "- rápido, liga essa coisa! (essa coisa é o meu carrinho)  O pai vai partir"; "- despacha-te"; a entrar numa estrada que se tem que ter muito cuidado, visto que há muito trânsito nos dois sentidos e a visibilidade é reduzida, lá estava ele no banco de trás aos encontrões na sua cadeira a dar ordens de novo: "- ARRANCA!"
Bem, aquele miúdo tem cá uma vontade de mandar.
Quando cheguei a uma fila (sim, porque as obras do shopping que nunca irá abrir, fazem destas coisas), lá estava ele de novo: "- arranca! ANDA, ANDA!"
A mim este comportamento cria-me uns nervos. Raça do miúdo, que só quer velocidades!
 

24 de setembro de 2012

Encontro anual @2012

Este ano a empresa levou-nos até à barragem da Aguieira. Todos os anos um fim-de-semana lá vamos num encontro de confraternização, com os colegas de trabalho.
O primeiro dia estava assim o tempo:

No segundo dia, assim:

 
Não descancei tanto como queria, mas consegui ainda assim ler metade de um livro que à muito tentava.

O piquenique

 
 
Não foi o mais original, mas correu muito bem, e ficou giro. Os piqueniques da empresa são sempre momentos engraçados.
O sítio do piquenique, em Vagos, um bom sítio para o que fomos lá fazer: piquenicar. Pontos negativos: não tinha café perto.
A fome também não era muita, ainda não eram 11h quando chegámos. Sobrou imensa comida.
Para o ano temos que ser mais originais.

22 de setembro de 2012

Os preparativos

 
Um piquenique tem que ter uma preparação prévia. Vamos ver como corre o do trabalho. Esforçámos-nos para ser diferente este ano.

19 de setembro de 2012

Insólito

No hipermercado, na zona de higiene pessoal, passa um homem com cerca de 2m, na casa dos cinquenta anos, e chama: "-Mamã?". Na fila seguinte aparece uma senhora, velhota a responder à chamada.
Bem, fiquei mesmo admirada!!! Até os príncipes notaram e além de estranho acharam que seria motivo de risota. Tive dificuldade em repreendê-los.

18 de setembro de 2012

Queda

Ontem, o Tiago queria ir andar de bicicleta. E, foi... até cair, coitado! E se magoar e bem no seu rabiosque. No meio de gritos e desesperos lá o arrastei para casa, com um arranhão no braço e sem conseguir andar pelo próprio pé. O irmão gémeo, atrás de mim com a bicicleta e muito preocupado como estaria o irmão. Sim, nestas coisas, os gémeos unem-se mais que ninguém. Sofrem com o sofrimento do outro.
No meio da dor e do desespero foi difícil ver as feridas. Bem, um braço arranhado e um rabiosque em vias de ficar bem negro, foi o resultado final. Mas o rapaz aguentou perfeitamente o gelo no rabiosque o que evitou que ficasse negro.
Hoje, ao ir para a escola, o coitado ia a arrastar a perna. As dores que ele deve ter hoje.
Embora diga que nunca mais vai andar de bicicleta, acredito que rapidamente vai voltar a andar de novo.

16 de setembro de 2012

Nos treinos

O príncipe mais novo com 3 anos ainda usa fraldas. Não se preocupa muito com isso. Mas agora decidimos: já chega! Fazer na sanita tem sido raro, anda de cuequinhas o dia todo, mas vai fazendo aqui e ali, pequenas poças. Quando faz na sanita fazemos uma festa enorme, de forma a que se sinta feliz e com objectivo cumprido. Penso que os próximos tempos vão ser difíceis e na máquina de lavar é que se vai notar. A esfregona e o balde com água fazem parte neste momento da decoração da casa.
As corridas para a casa-de-banho, são quase sempre infrutíferas. Acho que são mais uma brincadeira para ele, que efectivamente vontade de fazer xi-xi.
Vou ver se dá para colocar um sofá no wc, visto que passo lá metade do tempo que estou em casa, assim a estadia será mais confortável.

Pitões das Júnias

A semana passada fomos fazer um piquenique e depois fomos até Pitões das Júnias, do outro lado do Gerês. Foi um dia em que nos fartámos de ver barragens, vimos para aí 5 barragens, e vacas, muitas vacas.
 
 
O dia estava frio na serra e nós não fomos propriamente preparados para o mesmo. Tinha dois casacos para o príncipe mais novo no carro, um para um dos gémeos e mais nada, por isso, a toalha do piquenique teve o seu proveito. Tal como uma capa contra o frio, deu azo também a brincadeiras.
 

Depois do piquenique, no meio de um vento gélido, num sítio bem agradável na barragem de Venda Nova, seguimos serra acima. Na barragem apanhámos um saco de pinhas bem engraçadas, que caso pretendamos fazer alguma decoração com elas ficarão bem giras.
 

Serra acima, com vento e o céu a ameaçar mais chuva, que sol.


E, fomos encontrando vacas, algumas com problemas de agressividade, prontas a demonstrarem-no no nosso carro.

 
Pitões das Júnias. Estavam talvez uns 18º, mas um vento... que vento! Fomos até ao mosteiro, caminho abaixo, com cuidado para não escorregar nas pedras. Os príncipes já não se lembravam bem, mas ao chegarem as memórias foram avivadas. É um sítio lindo, de uma beleza tal, que compensa bem os quilómetros efetuados. O riacho, as árvores, as flores, o mosteiro de Santa Maria das Júnias, os caminhos, tudo é lindo.

 




 

Para todo o lado que vamos agora levamos a bicicleta, e encontrando um local jeitoso, lá estão os príncipes prontos para umas voltinhas de bicicleta. Pitões das Júnias, mesmo com frio, não foi excepção.




No regresso a casa, vimos mais vacas,



E, mais vacas
 

 

O Tiago, amante de fotografia, veio no regresso a tirar fotos da paisagem. O Gerês oferece sempre momentos lindos para fotografar. Ficam alguns momentos retirados pela Tiago:



 
  

13 de setembro de 2012

Martírio Escolar @ parte III

Este ano decidimos não investir muito em material escolar. Decidimos reaproveitar as mochilas dos outros anos, que ainda estão em bom estado, porta lápis, lápis de cor, marcadores, afiadeiras, réguas, e tudo o que fosse possível reaproveitar. Claro, há sempre muito dinheiro (e muito) para gastar: livros, cadernos, folhas, lápis, tudo o mais...
Mas, quando começam as aulas aparecem novas listas: mais 20 cadernos, mais uma capa, mais 10 canetas, mais 50 lápis, mais uma calculadora, mais umas réguas, mais, mais, mais... Parece que nunca acertamos. Tenho que voltar sempre às compras de material escolar.
Hoje fiquei feliz com a minha escolha (local para aquisição) e como aos gémeos ainda lhes faltavam algumas coisas, fui ao ELeclerc, e comprei quase o que faltava (esqueci o raio das calculadoras) bem baratinho. Bem, mas ainda vai necessário comprar mais coisas de certeza, por o príncipe mais velho ainda só amanhã começará as aulas a sério, e depois surgirão mais coisas que necessitarei comprar ainda, de certeza...


 

Martírio Escolar @ parte II

 
Hoje fui deixar os gémeos na escola, o seu primeiro dia de aulas no 4º ano. Não sei se iam felizes ou tristes. Felizes, não me pareceu muito, mais conformados. Lá os deixei no meio da confusão, mas direitinhos no passeio.
Não é que quando começa a escola e o trânsito aumenta decidem fazer obras nas estradas! A escola, com perto de 400 alunos, todos a entrar à mesma hora, tem duas saídas para escoamento do trânsito. O trânsito ali é pouco, excepto quando se tem que levar os miúdos ou buscar à escola, aí aumenta 100%. Pois é, passaram 3 meses e quando decidiram tapar os buracos que existiam à anos? Pois... quando iniciou a escola! Por isso, sair da zona da escola agora é um tormento.
Mas o meu problema com as filas não acabou. Pois é! Parece que no concelho de Green Ville decidiram fazer obras, mudar de piso, sei lá que mais, em todas as estradas. Pois é a estrada nacional está em obras, mudança de piso. Por isso, filas intermináveis... é o pára... mas não arranca. Estive mais de 20 minutos parada no mesmo sítio, mas ainda fui útil, porque como estava parada num cruzamento ia ajudando os condutores que queriam entrar na estrada a ver se vinham carros ou não. Uma autêntica sinaleira. Claro, isto não evitou que chegasse mal disposta ao trabalho, pois passada uma hora de deixar os gémeos na escola cheguei ao trabalho, coisinha para demorar no máximo 20 minutos.
Estou a ver que nos próximos dias tenho que me despachar de manhã, senão vai-se repetir a brincadeira.
 
 
 

Martírio escolar @ parte I

Lá fui eu ontem à reunião da escola dos gémeos. Como sei que se atrasam sempre saí quase à hora. Não contava é que a estrada estivesse em obras e lá estive eu no trânsito, parada, para aí 15 minutos. Mas, cheguei à escola e a reunião, imagine-se, eram quase 18h, e não tinha começado.
Lá entrámos para o refeitório, os pais de cerca de 300 crianças e começou a reunião. Nada de novo adiantaram, o mesmo dos outros anos. Mas tive logo aqui o primeiro choque: os gémeos não irão ter a mesma professora, a professora fantástica, que se preocupava com os alunos e que tiveram nos últimos 3 anos.
Depois fomos para a sala. E, lá vi a nova professora. Achei muito parada, e nem vou comentar em concreto o que achei, só espero vir a mudar de opinião ao longo do ano. Vamos pensar positivamente...
Preenchi mais uma vez os papeis em duplicado, a uma velocidade fantástica, visto que vimos as micas em cima das mesas com os documentos, mas pensámos que eram para preencher em casa. A meio da reunião um pai pergunta se era para levar para casa, ao que a professora disse que era para preencher na sala. Bem, dos meus olhos devem ter saído faiscas; estava ali à tanto tempo, e tinha documentos a preencher em duplicado... (começamos bem!).
Quase 19h30, quando terminou a reunião. Mais uma vez uma lista interminável de material. Lá tenho que ir comprar mais coisas.
Fico sempre com a sensação que estas reuniões servem para pouco, tendo em conta o tempo que demoram. Se preenchessem um papel e distribuíssem aos encarregados de educação pouparíamos muito tempo todos e a informação seria passada à mesma.
 
 

12 de setembro de 2012

E começa o martírio escolar

Hoje temos os primeiros passos para o início do ano escolar.
O início do ano escolar é um martírio para mim e acredito que para a maioria dos pais também o seja. Temos horários, tempos livres, livros, material escolar, refeições escolares, atl's, horários a tentar conciliar. Tudo ao mesmo tempo é difícil de gerir.
Hoje terei a reunião na escola dos gémeos. Amanhã, à partida, iniciarão as aulas. Será que já vão comer na escola? E, o atl já estará a funcionar? Bem, ficarei a saber tudo hoje ao final do dia, isto claro na véspera do grande dia.
Quanto ao príncipe mais velho, ainda não sei: horários, tempos livres, se será necessário atl ou não, refeições... Ainda nem sei datas para reuniões de pais, nem nada... Amanhã começa a escola, mas um de nós (pais) vai ter que faltar, pois parece que vai a uma apresentação e depois, casa... Será que neste país ninguém trabalha? Será que está tudo à mercê da escola?
Início do ano escolar é um caos.
 
 

Portugal x Azerbaijão




Ontem, o meu marido foi com o João ver o jogo de Portugal. Foi a primeira vez que ambos foram ver a Selecção.
Para lá chegar não foi fácil, mas consegui deixá-los mesmo no estádio. Por caminhos e travessas, lá fugimos ao trânsito e chegaram direitinhos e muito antes do jogo começar.
No final foi mais complicado ir buscá-los, mas lá vinham eles todos felizes, cheios de bandeiras de Portugal. Felizes com o espectáculo e felizes com a vitória. Foi pena os golos terem sido todos na 2ª-parte, porque eles estavam perto da baliza do lado da pedreira, e se tivessem marcado golos na 1ª parte teriam visto melhor os mesmos.
Enquanto eles estavam no futebol, eu e os outros príncipes, fomos ao shopping. Aproveitei fiz umas compras de material para a escola, jantámos e o príncipe mais velho cortou o cabelo. Estava super feliz com o seu novo corte. Como uma coisa simples faz alguém tão feliz!

 

11 de setembro de 2012

As brincadeiras deles

Jogar às apanhadas:

 
Jogar às escondidas:


Isto, claro, nem sempre corre bem! O príncipe mais novo por vezes é mais um empecilho, que um elemento da brincadeira, isto, como é óbvio, analisado pelos outros príncipes.
 

Afinal um fungo

 
Um fungo com manias de que não gosta, ou melhor, gosta muito do calor. Medicação: continuar com o creme, colocar um pó que seca o pé, usar meias de algodão (100%), 2% que não tenham algodão será demais, pé o máximo arejado e sapatos de pele. Foi esta a receita do médico para resolução do fungo nos pés do Tiago.
Ontem fui procurar meias 100% de algodão e descobri que nas lojas de desporto não existem. Comprei na Decathlon com 86%, mas ainda é longe dos 100% ou os 98% como o médico recomenda, nunca abaixo.
Agora já me estou a ver a comprar meias a ler bem o rótulo. Não tem descrição correta não levo.
 
 

Por Portugal


Coincidências...





10 de setembro de 2012

Micose... eczema!!!

O Tiago à cerca de uma semana, começou a queixar-se dos pés. Aquilo estava feio, a descamar a pele, com vermelhões, e parecia mesmo pé de atleta. Comprámos um creme para o pé de atleta na farmácia, e tivemos todo o cuidado na sua aplicação. Mas no sábado ele começou a ter dificuldades em andar. Debaixo dos pés estão a aparecer imensas bolhas que se nota estarem infectadas. Hoje vou ver se o levo ao médico, aquilo está esquisito. Além de comichão, agora não consegue andar. Que raio de bicharoco será?!!!?

7 de setembro de 2012

Um dia no Zoo

 
Fomos fazer uma visita ao Zoo da Maia. Este zoo encontra-se em obras de renovação, mas ainda assim ofereceu momentos bem agradáveis aos príncipes. Os príncipes mais velhos conhecem-no bem, mas o príncipe mais novo foi como se fosse a primeira vez a um zoo.
Começámos pela visita à Arca de Noé, onde tem cobras, lagartos, rãs, sapos, aranhas. Logo na entrada tem um aquário com tarântulas. Nós os 5 a apreciar as tarântulas e a chamar a atenção do príncipe mais novo, quando ele exclama todo feliz: "- Iiiiiiiiiiiii! (nós a pensar que ele falava das tarântulas) Que pau tão grande!". Pois! Parece que o pau (normalíssimo) chamou mais a sua atenção!
Seguiram-se os lagartos, as piranhas, os sapos, as rãs e as cobras. Bem, o príncipe mais novo estava numa excitação que só visto. Por mais que o mandássemos falar baixo (o espaço assim o exigia), berrava, dava gritinhos de satisfação e corria para o próximo aquário com o objectivo de ver mais e mais. Claro, que isto fez com que não víssemos os repteis com a atenção desejada.
Quanto às cobras e aos lagartos, o destemido que nunca tem medo de nada (o príncipe mais novo) nem se queria aproximar ou tocar nos vidros dos aquários. "- Eles comem.", dizia ele. E, se algum de nós o fizesse largava num berreiro stressante até nos afastarmos. Os gémeos inicialmente acharam que ele não queria que eles vissem, mas após lhes explicarmos o motivo, entenderam.
 



 
Além das cobras venenosas (que me surpreendem sempre), admirei (eu e todos) a tartaruga australiana com nariz de porco, como os príncipes disseram.
 
 
 
Após a Arca de Noé, visita ao jardim do Zoo. Primeiro as aves,...
Uma das aves, enquanto estava a tentar tirar uma foto a um grou, como me aproximei muito da rede, soprou-me em forma de aviso: "mais um passo e pico-te". Foi este ser imaculado, que o fez:
 

...e mais aves, os macacos, o porco espinho, ...




...e, a zebra. A zebra deve ser o animal favorito do príncipe mais novo. Não queria ver mais nada, só queria olhar para a zebra. Tentava falar com ela, mas a zebra estava empoderada e saltava, corria, relinchava (se é que áquele grito estranho, semi zurrar, ladrar, se pode chamar relinchar). Bem, isto ainda chamava mais a atenção do príncipe. Não queria abandonar a sua amiga zebra.
 


 
Após insistência continuámos a visita: galinhas, cabras, um pónei, os lémures...
Os lémures (animais mais fofos) estavam na hora da sesta. O príncipe mais novo olha para eles e diz: "- São Dibos..." (Dibo é o nome do nosso gato preto e branco). Realmente, pela forma que dormem parecem bem o nosso gato, pelagem parecida... pronto, são todos Dibos.
 

Já numa parte nova (ainda em obras) podémos ver, a avestruz, leões, e... mais zebras. E onde estava o príncipe mais novo? Ao pé das zebras.





Hora para uma pausa. Todos comer um gelado. O gelado é oferecido na compra do bilhete de entrada do zoo. Tínhamos a companhia de um macaco, no alto do seu miradouro, provavelmente acabado de acordar de uma sesta. Os gémeos iam-se divertindo a ver o leão marinho a nadar de um lado para o outro.


Terminado o gelado, fomos ver os cangurus e os ursos. Os ursos ainda estavam a dormir, mas acordaram, porque além do calor e a sua necessidade de tomar um banho refrescante, também se aproximava a hora do lanche deles. O príncipe mais novo também adorou os ursos. Não queria sair dali. Até pediu para os ir abraçar. Deu-lhes nomes e tudo: um era a mãe, outro o Afonso. Delirou quando viu um deles a entrar na água e banhar-se calmamente.
 
 
 

Quase a começar a apresentação do leão marinho, e o príncipe mais novo a barafustar, pois não queria abandonar os ursos. Enquanto o leão marinho esteve fora de água, lá o consegui manter quieto a ver a apresentação, depois entreguei-o ao pai e foram juntos ver de novo os ursos.
 

Mais macaquinhos, bambis, e... de novo a zebra...



Depois de dizermos ao príncipe mais novo para dizer adeus à zebra, ainda houve tempo para brincarem um pouco nos baloiços e no escorrega.