25 de maio de 2017

Dia da Espiga

Não sei se aqui no Norte se comemora, nunca ouvi falar...

Mas, o que eu adorava o Dia da Espiga quando andava na escola. Era dia de festa. Partíamos com a professora, campos fora, em busca de um ramo de oliveira, espiga, papoilas e malmequeres. Tão feliz que ficava com o meu ramo.
Aqui posso tentar, mas vai ser difícil encontrar a espiga e as papoilas, que raramente as vejo.

Mini conversa

O Mini adora as águas com fruta que existem no mercado. Até aqui tudo normal, mas o que não é normal é como ele pronuncia "água de fruta". 

video

Pois: " água de ****"

Imaginem, isto no meio do supermercado!!!

24 de maio de 2017

Desafio sem açúcar - 52º dia

Não sei se a virose não terá ajudado (estive doente 2 dias), mas uns belos 4 quilos e tal já se foram.

Domingo foi...

No domingo, eu e o marido, com um dia tão bom, decidimos fazer um piquenique. Mas isto durou até o príncipe mais velho ter acordado e dito que tinha um trabalho para fazer com uns colegas. Bem...os planos foram com o vento, mas o príncipe levou uma reprimenda: "domingo não se marcam trabalhos, pois têm muito tempo durante a semana".
Planos alterados decidimos mesmo assim sair com os príncipes mais novos. Aproveitámos e fomos comprar sapatos para o Mini. Eles adoram ir à Decathlon, brincam com tudo o que podem por lá.



Depois fomos ao aeródromo ver os aviões... enquanto lá estivemos nem um avião aterrou! 


Por fim. e como nunca tínhamos mostrado as cobras apanhadas no Brasil aos príncipes mais novos, que se encontram no Santuário da Srª do Alívio, fomos lá mostrar as cobras. Tão próximo de casa e à anos que lá não íamos. Ficaram mais entusiasmados com as cobras que se encontram dentro de frascos em formol, que com as gigantes empalhadas! 

 
 


20 de maio de 2017

Final de tarde

Quando os fui buscar ontem à escola, o Mini quis ir para o campo jogar futebol. Tanta alegria, quem os consegue arrancar dali!?!







19 de maio de 2017

Trabalho de pesquisa

O Afonso tinha que fazer um trabalho sobre um animal que goste. Um trabalho de pesquisa. Ele adora a chita, sempre foi o seu animal favorito, por isso a escolha não foi difícil. Mas, quando se tratam de trabalhos para a escola, o interesse dele diminui logo. Fez a pesquisa, mas não quis escrever muita coisa. Limitou-se, quase em 2 ou 3 palavras, a responder às questões que a professora tinha dado como indicação. Mas, a professora pediu algo mais elaborado, algo com pelo menos uma imagem. 
Decidimos ajudá-lo. Tirei algumas imagens da net e com a ajuda do pai lá esteve ele a fazer um cartaz sobre a chita. O Mini, entre choros e birras, também quis ajudar.



No final o Afonso estava orgulhoso do seu trabalho.


Hoje lá levou com muito cuidado e orgulho o trabalho para mostrar à professora e aos colegas. 


Ai o trânsito!

E, o que acontece quando Braga está no centro das atenções?


Nós ficamos loucos... com o trânsito que se forma nesta cidade! Mais 15 minutos de manhã para chegar ao trabalho...e, tive sorte! Como será logo para ir para casa?!


18 de maio de 2017

O que ele diz #80#

Ontem, quando ia com os príncipes mais novos para casa, ao passar na escola dos gémeos, o Mini deu a entender que tinha ido ali à Feira do Livro. Eu não sabia se iriam e continuo sem ter a certeza se foram. O Afonso, que já tinha ido à Feira do Livro começou a fazer-lhe perguntas para perceber se ele tinha ido ou não, até que me diz:

" -  Não me acredito que não deste nada ao miúdo!"

Como quem: "devias lhe ter dado dinheiro para comprar um livrito!"

Há dias assim

Quando não sabemos o que nos apetece... Quando a calma nos cansa, nos mata!


17 de maio de 2017

Um cantinho tratadinho @7


A porta do quarto do príncipe mais velho. O que ele gosta e o que nós gostamos. Obviamente a porta de um quarto de um adolescente.


16 de maio de 2017

Só pode ser boicote!

Está uma pessoa a prestar uma informação, de forma profissional, a um cliente, quando lhe entra pelo canto do ecrã este e-mail:


O senhor meu marido só me pode estar a boicotar o trabalho... É difícil depois manter a atitude profissional e conter o riso!

Falando de desenho #1

O João raro é o dia que não desenha. O amor dele pelo desenho e o interesse crescem de dia para dia, por isso, a partir de hoje tenho uma rubrica só sobre os desenhos do João.

Este foi criado por ele.


15 de maio de 2017

Desafio sem açúcar - 43º dia


Isto é a força: fiz uns biscoitos de limão de adoro e não toquei!

Um bom companheiro

Quando os gémeos estão a estudar, gosta de estar à beira deles.



Quando estou a passar a ferro gosta de estar perto de mim.


O Dibo gosta de estar perto de quem lhe vai passando a mão pelo pelo. Gosta de festinhas e por isso é uma boa companhia.

Dia Internacional da Família


14 de maio de 2017

Eurovisão


Não gostei da primeira vez que ouvi a música da Salvador. Da 2ª vez já admirei um pouco mais. O gosto foi crescendo. Ontem, 20h estávamos em família em frente à tv a ver o festival da Eurovisão. Sofremos com a pontuação. 
43 anos a ver o festival da canção e o impossível aconteceu: Ganhámos o Festival da Eurovisão. 

Parabéns Salvador. 

Como diz o poeta: " Primeiro estranha-se, depois entranha-se."

Já agora: adoro a música e foi merecedora do prémio.

12 de maio de 2017

Papa em Portugal


O Papa está em Portugal. 
Não tive tolerância de ponto como a função pública. Se tivesse tolerância de ponto ia a Fátima? Não. Gostaria? Gostaria muito de ver o Papa. 
Mas uma coisa tentarei fazer: acompanhar o máximo esta visita especial ao nosso país. 
Que nos traga esperança. Que traga esperança à minha família. 

Frase do dia

"Nem sempre quem cala consente"


Dá muito trabalho discurtir com idiotas.

11 de maio de 2017

A educação vem de casa

Hoje fui com o Mini à consulta de pediatria no Hospital de Braga. Próximo das 11h15 chegaram umas voluntárias, muito simpáticas com uma mochila com blocos, livros, e material de desenho. O Mini mal as viu, embora um pouco envergonhado, foi para ao pé delas. Escolheu os blocos e ali ficou a fazer montagens, todo feliz.
Passados alguns minutos chegou uma menina com os avós. As voluntárias convidaram-na logo para a mesa, mas a menina nem lhes falou, ignorou-as. Pode-se pensar que seria vergonha, mas achei estranha e rude a reação da criança. A avó em pé, nada disse e olhava de lado para as voluntárias. Alguns segundos depois a senhora vai fazer o chek-in para a consulta da neta e a coisa descamba. A funcionária de forma educada pede-lhe o cartão de identificação da neta. Ela, de forma rude, dá-lhe a sua carta de condução. Começa a mandar vir que tinham que saber os dados da menina, sem dizer o nome, sem qualquer informação. A funcionária pede-lhe o nome da criança, de forma pouco percetível diz. A funcionária pede de forma educada para repetir. Repete mas a discutir. Pede-lhe a data de nascimento da criança e a senhora (agora percebo porque a criança tinha ar de tão mal educada) começa a dizer que se não quer trabalhar que vá para casa; que ela que não está ali para lhe dar dinheiro a ganhar; que não pagará nada (as consultas de pediatria no hospital são gratuitas!), e mais mil impropérios desnecessários que me fez pensar: "a educação vem da casa".
Que pessoas tão brutas e tão fracas de espírito, como poderia a criança ser diferente?

10 de maio de 2017

Coisas deles #71#

Numa conversa de planeamento de uma saída em família, entre mim e o meu marido:

" - Queres ir à posta?"

Diz o João, que ouviu:

" - Não, que eu não sou desses de casinos!"

Ele percebeu, "vamos à aposta - jogo, casino". Nós falávamos de ir comer uma posta mirandesa.

9 de maio de 2017

Coisas estranhas

Quando a mensagem que se recebe de um erro, no pc, é muito explícita:


Pelo menos é divertida!

Dia da Mãe - a Festa


Ontem, ao final da tarde, na escola do Mini organizaram a Festa do Dia da Mãe.


Foi muito engraçada e divertida. Contrataram um cantor de música infantil para animar. Pena não saber o nome do cantor, porque foi mesmo engraçado. Envolveu alunos, envolveu as pessoas da escola, os pais... que bom momento. Um momento alegre e divertido. O Mini fartou-se de dançar. 
Depois foi o momento das prendas e da entrega da flor às mães.


No final, um pequeno momento para comer. Com tanta coisa boa, o Mini atirou-se às batatas fritas. Eu, chorei por dentro - nem num bolo, nem numa migalha toquei.


Nada muito trabalhado (acredito que deu trabalho a quem organizou); mas foi um momento muito bom para pais e miúdos. Como dizia o Mini a Festa das Mães e dos Filhos.

8 de maio de 2017

Coisas deles #70#


Como é possível!?
4 da matina oiço uma voz: " - Mãe!". Abro um olho mas penso que estou a sonhar. De novo: "- Mãe!" Levanto-me e arrasto-me. O Afonso não consegue dormir porque sonha com mambas negras, isto devido às cartas do Pingo Doce. Deito-me ao pé dele e acalmou.
Se tornar a acontecer ainda processo o Pingo Doce! Cartas com bichos bravos... Bem fez o Lidl!


Flores silvestres

Se vejo flores silvestres e se forem bonitas, tento perceber logo onde as posso colocar lá em casa.



7 de maio de 2017

Mini em ação

Quando se acorda de manhã e só se pensa em desenhos.


Quando, depois de se estar doente, a recuperação é fazer puzzles.

Quando se tem um mano mais velho que se preocupa

Quando se vai às compras.


Quando um carrinho se prende nos cabelos e decide lá ficar.

Dia da Mãe

❤A prenda do Afonso. Pintado por ele.





Desafio sem açúcar - 35º dia

Comprámos uma balança, e... 1 mês sem açúcar e menos quase 2kg. Vamos ver quando terminarem os 60 dias. Sem expectativas.



5 de maio de 2017

Desafio sem açúcar - 33º dia


Já não falta tudo. Metade já passou.
Continuo sem tocar em açúcar ou alimentos com açúcar. Qualquer dia até me habituo! [não me habituo nada!]

Sapatos iluminados - o fim trágico

Com tão pouco tempo ficaram assim os sapatos iluminados que comprei ao Afonso. Acho que nunca teve uns sapatos que em tão pouco tempo ficassem em tão mau estado.
Lumberjack nunca mais compro!
Pelo menos ainda piscavam quando os vi a última vez no caixote do lixo...